Contacto Geral 263 006 500

SOL E PELE – CUIDADOS A TER

 

Dra. Sunita Dessai, Dra. Paula Maio e Dr. Carlos Garcia

Serviço de Dermatologia

setembro 2012

 

 

 

A pele é o órgão mais extenso do corpo, sendo superficial protege o organismo como um "escudo" contra agressões externas incluindo as radiações ultravioleta (RUV). “A pele espelho da alma”, é um órgão que espelha a idade e o estado de saúde, daí a relevância de perceber melhor a sua estrutura e função. É um órgão complexo constituído por 3 camadas: a externa ou epiderme, a derme e a camada mais interna - hipoderme. A epiderme, além da capacidade de renovação e reparação de danos solares, fenómeno este que diminui com o envelhecimento, tem na sua constituição melanócitos, que produzem melanina, o pigmento da pele, que protege contra RUV. O sol é associado à época balnear e actividades ao ar livre, trazendo benefícios como a síntese de Vit.D e efeitos psicológicos positivos. Mas, para ser saudável é necessário tomar precauções. O hábito generalizado de exposição solar tem aumentado a importância das doenças provocadas pela sua radiação. O sol emite energia através de ondas eletromagnéticas de diferentes frequências (luz visível, infravermelha e ultravioleta) absorvidas seletivamente pela camada de ozono. A crescente incidência de cancro de pele, atribuída ao possível aumento de radiação por redução da camada de ozono continua a ser objeto de estudo. Apesar das consequências frequentemente serem apenas visíveis depois dos 40 anos, estes efeitos são cumulativos e os primeiros anos de vida são decisivos, por isso, a protecção durante a infância é crucial para a prevenção de cancro e outras doenças da pele.

A exposição da pele às RUV pode ter efeitos a curto prazo, como eritema (vermelhidão) e hiperpigmentação e a longo prazo, acelerar o envelhecimento e carcinogénese.
Os tumores cutâneos, quando detectados precocemente, têm alta probabilidade de cura, mesmo o Melanoma Maligno (MM), que se forma a partir de "sinais" com determinadas características: Assimetria; Bordos irregulares; Cor heterogénea; Diâmetro >6mm; Evolução/Modificação. O MM é considerado o mais grave com alta mortalidade, embora seja mais raro do que outros tumores cutâneos ditos menos agressivos. Os factores de risco para o seu desenvolvimento são: predisposição genética; história familiar; queimaduras solares; pele, cabelos e olhos claros com sardas e muitos sinais; albinos; vitiligo (manchas brancas); tabagismo; baixa imunidade e profissões ao ar livre.

Mais de 90% dos cancros de pele ocorrem em áreas expostas ao sol, e a sua incidência crescente representa um dos maiores problemas de saúde pública, apesar de campanhas de informação à população. Importa salientar que a aplicação de filtros solares isoladamente é insuficiente. Além disso, para serem efectivos devem ser aplicados em quantidade suficiente e distribuídos homogeneamente, várias vezes por dia. A aplicação de protetor solar não pressupõe prolongar o tempo de exposição!

A fotoproteção envolve aspetos tão diversos e simples como atitudes e comportamentos que passam por:

  • Escolha de roupa adequada;
  • Planeamento de férias e atividades no exterior, evitando o período das 11-17 horas;
  • Uso de chapéu de abas largas e óculos de sol;
  • Exposição lenta e gradual;
  • Um protetor solar fator 30+ aplicado cerca de 30 min. antes da exposição (mesmo com o tempo nublado!), repetindo após o banho, sem esquecer lábios, nariz e orelhas;
  • Ter atenção a alguns fármacos fotossensíveis que desencadeiam reacções tipo queimadura ou alergia na pele exposta;
  • Lembrar que os tecidos molhados perdem capacidade de fotoproteção;
  • Crianças até 2 anos não devem ser expostas diretamente.
  • Evitar o uso de perfumes antes de se expôr ao sol, pode causar manchas

Há que alertar que as RUV vêm de todos os lados e não apenas de cima. Estar à sombra não dispensa a aplicação do protetor solar, mesmo debaixo do guarda-sol há exposição ao equivalente a 30% das RUV diretas; na exposição por reflexo dos raios solares na neve, a 80%; na praia, 20%; na água e na relva, 5%.

Consumir frutas, legumes e muita água é importante para a pele e equilíbrio orgânico. O Auto-exame regular da pele e estar informado é indispensável para o diagnostico precoce e inverter a tendência crescente do cancro de pele .