Contacto Geral 263 006 500

SABIA QUE PODE TER DPOC?

 

Dra. Paula Rosa

Diretora do Serviço de Pneumologia do Hospital Vila Franca de Xira

novembro de 2014

 

 

 

A DPOC é uma doença frequente. Segundo os dados mais recentes, na região da grande Lisboa 14,2 % das pessoas com mais de 40 anos têm DPOC. Este estudo mostrou também que muitas pessoas não sabem que têm esta doença.

 

DPOC, que quer dizer Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica e é o nome de uma doença respiratória que resulta da inflamação dos brônquios devida à inalação de partículas como o fumo do tabaco, de lareiras e de outros poluentes.

 

A razão pela qual muitas pessoas não sabem que têm esta doença tem a ver com o facto de os primeiros sintomas da doença: tosse, expectoração e cansaço ou dificuldade respiratória, não serem valorizados por quem tem a doença.  Como esta é uma doença crónica, os sintomas vão aparecendo lentamente a as pessoas desvalorizam as queixas porque pensam que estas resultam de fumarem ou da idade. É essa a razão porque não referem estas queixas ao seu médico de família.

 

Ter tosse, expectoração,  dificuldade em respirar,  ou cansaço mais intenso do que as pessoas da sua idade não é normal!

 

O tabagismo é a principal causa da DPOC! É verdade que nem todos os fumadores têm DPOC (embora possam ter outras doenças também relacionadas com o tabaco), mas, naqueles que desenvolvem a doença, esta vai sempre agravando se se mantiver o hábito. Finalmente o doentes apresentam muita dificuldade em respirar, mesmo nas actividades do dia-a-dia como comer ou tomar banho. É habitual os fumadores pensarem que deixar de fumar é muito difícil e que não vale apena fazer esse esforço a partir de determinada idade. Nada mais falso! Deixar de fumar é possível e vale sempre a pena, mesmo após muitos anos a fumar.

 

Apesar do tabagismo ativo ser a principal causa da DPOC, o tabagismo passivo ou a inalação de outros agentes poluentes pode também provocar a doença e é por essa razão que existem não fumadores que têm DPOC. 

 

Para fazer o diagnóstico da DPOC é preciso realizar um exame respiratório, a espirometria que mede o volume de ar que entra e sai dos pulmões e a velocidade com que o faz. Este teste é o que permite confirmar o diagnóstico e orientar o tratamento.

 

É comum a ideia de que esta doença não tem tratamento. A DPOC sendo uma doença crónica não é incurável. Na verdade dispomos atualmente de muitos medicamentos que permitem estabilizar a doença, melhorar as queixas e prevenir o seu agravamento. A vacinação anual contra a gripe e a vacina da pneumonia (toma única) são também uma ajuda preciosa para evitar o agravamento da DPOC.

 

Outra falsa noção é a de que os doentes respiratórios devem evitar fazer exercício. Na realidade, o exercício físico faz parte do plano de tratamento desta doença. Mesmo as pessoas que nunca praticaram exercício regularmente devem fazê-lo, mesmo que no inicio se cansem. O cansaço não deve impedir a prática de exercício físico, devendo apenas servir para orientar a quantidade do exercício.

 

A DPOC é tão importante e frequente em Portugal e no mundo, que justificou a criação de uma organização internacional de cientistas que estudam a doença e promovem a investigação e a divulgação da doença. Esta associação: GOLD - The Global initiative for chronic Obstructive Lung Disease, assinala anualmente o dia mundial da DPOC em Novembro.

A Unidade de Pneumologia do Hospital de Vila Franca de Xira tem-se associado a este esforço de divulgação e diagnóstico  precoce da DPOC através da participação em eventos locais, como a feira de Outubro,  realizando espirometrias de rastreio, ou assinalando o dia da DPOC ou o Dia Mundial sem tabaco com informação sobre a doença e divulgação de medidas de controlo e prevenção.

 

Lembre-se: Prevenir é o melhor tratamento!

Por isso... se tiver tosse, expetoração ou dificuldade em respirar, principalmente se for fumador ou estiver sujeito a inalação de partículas poluentes, não espere!

Procure o seu médico e pergunte-lhe se tem DPOC!