Contacto Geral 263 006 500

DIABETES MELLITUS

 

monica_reis.pngDra. Mónica Reis

Médica da Unidade Coordenadora Funcional da Diabetes do Serviço de Medicina Interna do HVFX 

novembro 2015

 

 

 

Em 1997 foi criado pela International Diabetes Foundation (IDF) o Dia Mundial da Diabetes Mellitus, que se comemora a 14 de novembro. Mas afinal o que é a Diabetes Mellitius? A Diabetes Mellitus é uma doença crónica que se caracteriza por um aumento dos níveis de açúcar (glucose) no sangue. A glucose resulta da digestão dos alimentos, principalmente dos hidratos de carbono (pão, massa, arroz, doces…) e é a principal fonte de energia do nosso organismo. Para ser utilizada pelas células, a glucose necessita de insulina que é produzida pelo pâncreas. Na Diabetes, o que acontece é que nosso organismo é incapaz de utilizar adequadamente a glucose, seja por défice de insulina ou por insuficiente ação da mesma.

Existem 2 tipos de Diabetes Mellitus: a tipo 1, que surge nos jovens, em que são totalmente dependentes de insulina e a tipo2, que surge habitualmente em indivíduos com mais de 40 anos, muito associada a obesidade e que pode ser tratada com terapêutica oral e/ou insulina.

A Diabetes Mellitus tem várias complicações importantes nomeadamente sobre os olhos, os rins e os pés, se não for controlada de forma adequada. Trata-se da principal causa de cegueira no mundo ocidental, de falência renal com necessidade de hemodiálise e de amputação não traumática. Os doentes diabéticos têm também um aumento significativo do risco cardiovascular, ou seja, de vir a sofrer um enfarte agudo do miocárdio e/ou um acidente vascular cerebral (AVC), principalmente quando associada à hipertensão arterial e à dislipidemia.

Assim é muito importante estarmos atentos aos sintomas da doença para rapidamente a identificarmos e intervirmos. Quanto mais cedo for o diagnóstico e mais rápido o controle da glicemia, melhor será o prognóstico. Os sintomas mais frequentes são: sede anormal ou sensação de boca seca, urinar frequentemente e em abundância, fome constante, cansaço e/ou falta de energia e perda de peso súbita. Se tiver estes sintomas deverá consultar o seu médico assistente.

A prevenção é essencial e a adoção de um estilo de vida saudável é a base dessa prevenção.  Cerca de 90% da população diabética é obesa. A prática regular de exercício físico é fundamental, uma boa caminhada diária é de fácil execução e acessível a todos. Uma alimentação saudável, com cerca de 6 refeições diárias, privilegiando as carnes magras e o peixe, os vegetais e legumes como acompanhamentos para as refeições e uma ingestão regrada dos hidratos de carbono, deixando os doces para os dias festivos, são essenciais para evitar o desenvolvimento da Diabetes Mellitus.

Em 2013, o número total de pessoas afetadas pela Diabetes, a nível mundial, era de 382 milhões e estima-se que este valor subirá para 592 milhões, em 2035.

A prevalência da doença em Portugal, em 2013, era de 13%, dos quais apenas 7.3% estavam diagnosticados, ou seja, 5.7% da população portuguesa tem a doença mas não sabe que a tem. Assim, no momento do diagnóstico a doença já tem vários anos de evolução, pelo que apresenta complicações graves que seriam evitadas se tivesse sido diagnosticada e tratada atempadamente.

A Diabetes Mellitus tem um custo elevado quer do ponto de vista social quer do ponto de vista económico. Em Portugal, no ano 2013, os gastos com a Diabetes Mellitus representaram 1% do PIB e 10% das despesas com a saúde, representando 1 713 milhões de euros.

Assim, devemos todos encarar o problema desta patologia em Portugal de uma forma séria e responsável.

Devemos fazer aquilo que está ao nosso alcance para diminuir a incidência da doença. Recorde-se que manter um estilo de vida saudável é fundamental, quer na prevenção da doença, quer na estabilização da mesma quando já diagnosticada.